09, May de 2020


Iniciativa, que começou no Hospital Evangélico Goiano, tem como objetivo preparar profissionais de saúde e acadêmicos para os desafios da pandemia do novo coronavírus

O Centro Universitário de Anápolis - UniEVANGÉLICA, por meio do trabalho da Educação Continuada da Reitoria institucional, instalou um Centro de Treinamento e Capacitação para o combate ao COVID-19. As instalações estão no Ginásio Poliesportivo da Instituição e deverão permanecer montadas enquanto durar a pandemia.

"Estamos felizes por darmos continuidade a uma experiência exitosa que começou no Hospital Evangélico Goiano. Essa é mais uma contribuição da UniEVANGÉLICA no enfrentamento ao COVID-19. É um projeto que contribui muito para a formação dos nossos acadêmicos, principalmente os da área da Saúde", destaca o Reitor Carlos Hassel Mendes.

"A finalidade é preparar diversos atores para enfrentar essa pandemia, que afeta o mundo inteiro. A realização do treinamento com o uso de cenários favorece a formação de multiplicadores no aprendizado das técnicas, que vão desde a colocação de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) até procedimentos mais complexos. E com certeza é uma oportunidade única de para nossos acadêmicos. É um momento singular, com o uso de tecnologias que são cruciais para o combate ao COVID-19", continua Carlos Hassel Mendes.

O Reitor do Centro Universitário de Anápolis destaca ainda a participação da comunidade acadêmica, com professores e docentes de várias mantidas da Associação Educativa Evangélica. Ressalta ainda o treinamento voltado a profissionais de Saúde da Prefeitura de Anápolis que atuam na atenção primária. "Neste momento, é importante fazer parcerias com o poder público no enfrentamento ao COVID-19. Toda ajuda é bem-vinda", pontua.

Com objetos que simulam a realidade de um paciente, desde a sua chegada a uma instituição de saúde, a iniciativa envolve equipes multiprofissionais. "É uma soma de cuidados de vários profissionais. Se houver quebra dessa linha de cuidados, os pacientes e profissionais de saúde podem ficar expostos", destaca o médico Sérgio Mota da Silva Júnior, professor do Curso de Medicina e vice-coordenador da Comissão de Residência Médica da UniEVANGÉLICA.

Projeto

A dinâmica de treinamentos foi iniciada no Hospital Evangélico Goiano, instituição parceira da UniEVANGÉLICA que possui campo de estágio para acadêmicos de Medicina. O embrião da iniciativa deu origem à atual formatação deste projeto de Educação Continuada, que envolve médicos residentes e assistentes, acadêmicos de diversos cursos, professores e profissionais da Secretaria de Saúde de Anápolis.

"Levamos a proposta para a Reitoria, que encaminhou o projeto ao Gabinete de Gestão de Crises criado especificamente para ações durante a pandemia. Após a aprovação da iniciativa, o Núcleo de Educação Continuada da Reitoria entendeu por bem dar início à expansão das ações, com a disponibilização do Ginásio Poliesportivo da UniEVANGÉLICA para os treinamentos", explica ainda o médico Sérgio Mota da Silva Júnior.

Os cenários criados incluem áreas com modelos de cuidado de atenção primária e terciária, coleta de Swab (testagem para COVID-19), visita domiciliar, consulta médica e triagem do paciente - esta frente de trabalho conta com o apoio de professores dos cursos de Medicina, Fisioterapia e Enfermagem da UniEVANGÉLICA. Um dos principais focos do treinamento é preparar os profissionais de saúde e demais participantes do treinamento para a correta utilização dos equipamentos de proteção individual (EPIs).

A paramentação e desparamentação, ou seja, os momentos em que o profissional se veste até o instante em que retira os EPIs do corpo, são procedimentos que exigem cuidados especiais. Da mesma forma, lidar com respiradores e demais instrumentos utilizados no tratamento de pacientes com COVID-19 pode gerar contaminação, se os procedimentos não forem realizados de maneira correta.

O projeto conta com a participação de acadêmicos e docentes dos cursos de Medicina, Odontologia, Enfermagem e Fisioterapia da UniEVANGÉLICA e ainda com docentes de demais instituições mantidas da Associação Educativa Evangélica. "Mais de 80 médicos residentes serão capacitados para atuarem como instrutores. O objetivo é mantermos a multiplicação do trabalho enquanto durar a pandemia", destaca ainda o médico Sérgio Mota.

Modelo

O projeto de Educação Continuada e treinamento em cuidado ao COVID-19 segue o modelo de _Entrustable Professional Activities (EPAs)_, atividades profissionais confiáveis, adotado por cursos de Medicina em diversos países. De acordo com o médico Sérgio Mota, os cenários contribuem para o aprendizado e reforçam a importância do modelo das EPAs.

"Essa sequência de cenários e vivências dá aos alunos e professores uma dinâmica de aprendizagem e ensino muito maior. Deixamos de trabalhar somente com a cognição, memorização de conteúdos e resposta a questões e passamos a trabalhar elementos como tomada de decisão, gestão, trabalho em equipe, gerenciamento de conflitos e assistência integrada de profissionais", destaca Dr. Sérgio. Um dos principais objetivos é proporcionar aos acadêmicos e aos profissionais de saúde a formação na perspectiva de autonomia do cuidado e alinhamento curricular às questões práticas.

Atendimento via chat
Atendimento via chat