17, June de 2022

Título, visto como um marco histórico, foi dado por meio do Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Tecnologia e Meio Ambiente (PPG STMA) ao diretor da Faculdade Evangélica de Goianésia, Prof. Dr. Mateus José dos Santos

A Universidade Evangélica de Goiás – UniEVANGÉLICA, celebra o primeiro título de doutor conferido pelo seu Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Tecnologia e Meio Ambiente (PPG STMA).  O título foi entregue ao Prof. Dr. José Mateus dos Santos, diretor da Faculdade Evangélica de Goiás – FACEG, que defendeu a tese “A escória da mineração e o setor sucroenergético. Um estudo sobre a racionalidade sustentável em Goiás”.

Trata-se de um importante projeto que envolve o levantamento sobre a racionalidade sustentável, ou seja, um conceito desenvolvido a partir da relação das empresas do setor de mineração com a escória desta mineração para finalidades agrícolas. O trabalho, que envolveu duas empresas, a Jalles Machado, de Goianésia e Anglo American, de Barro Alto, ambas em Goiás, envolveu a realização de testes da escória, que nada mais é do que um passivo ambiental para a mineradora e que agora, com o estudo, se comprovou que existe uma viabilidade econômica para este rejeito de mineração.

Segundo o professor Dr. Sandro Dutra e Silva, Pró-reitor de pós-graduação, pesquisa, extensão e ação comunitária da UniEVANGÉLICA, a tese na qual foi alcançado este título reforça a importância do papel do programa de Pós-Graduação Sociedade, Tecnologia e Meio Ambiente, pois traz uma resposta para a sociedade sobre o desenvolvimento sustentável e os recursos naturais do cerrado no estado.  “Esta tese é um marco histórico da nossa instituição, pela sua relevância e em nosso primeiro ano de programa”, diz.

Quem faz eco à afirmação é Carlos Hassel Mendes, reitor da UniEVANGÉLICA. “Trazer um tema extremamente relevante para Goiás, para o nosso País, representa um marco para a Universidade e externo minha alegria ao parabenizar José Mateus dos Santos e sua família por este grande feito”, afirma.

O presidente da Associação Educativa Evangélica, Augusto César Rocha Ventura, exaltou a conquista do Prof. Dr. José Mateus: “temos orgulho de formar o nosso primeiro doutor, que demonstrou excelência durante o seu doutorado. Com certeza é um marco na história da instituição”.

Sobre José Mateus dos Santos

José Mateus dos Santos, que hoje é diretor Geral da Faculdade Evangélica de Goianésia -AEE, tem dirigido seus estudos e experiências para a área de Ciência Política, em ações educacionais, nas áreas de desenvolvimento de políticas públicas e ação comunitária, experiência em Processo Legislativo e processos de desenvolvimento sustentável.

Bacharel em Ciências Sociais pelas Faculdades Integradas da Associação Educativa Evangélica (2003), especialista em Gestão e Planejamento Estratégico – UniEVANGÉLICA (2008), e Mestre em Sociedade, Tecnologia e Meio Ambiente, pela UniEVANGÉLICA (2008), Santos concluiu o ensino médio em 1985, recebendo o título de Técnico Assistente em Administração. Em 1988 concluiu, também, o curso Técnico em Agricultura pela Escola Agrotécnica Federal de Rio Verde. Ainda em 2002 concluiu com aproveitamento, o Curso de Gestão Pública Municipal, ministrado pela Escola Brasileira de Administração pública da FGV.

Entre 2004 e outubro de 2008 assumiu o pleito de vice-prefeito do Município de Goianésia e, neste mesmo município, atuou como Vereador eleito exercendo o pleito entre 2000-2003, sendo presidente daquela Câmara de Vereadores do Município de Goianésia em período análogo. Dentre as funções públicas, foi Secretário Municipal de Administração do município de Goianésia entre 2001-2002, Presidente da Fundação Cultural de Goianésia (2005-2007) e, no campo educacional, atuou como professor do ensino médio, na disciplina de Biologia, Geografia e História, entre 1991 e 1995. 

Santos também coordenou o Curso Técnico em Agricultura – Projeto de Extensão da EAFCe em Goianésia (2007-2008) e atuou como docente adjunto na Universidade Estadual de Goiás (2005-2006) Professor da Faculdade Betel de Goianésia (2006-2007). É professor efetivo da UniEVANGÉLICA desde 2006, no Curso de Bacharelado em Ciências Sociais com a disciplina de Processo Legislativo I e II, em Anápolis, e das disciplinas de Ciências Políticas e Sociologia Geral, na mesma Instituição, em sua extensão em Ceres-GO.

Para ele, a sua tese de doutorado “Escória da mineração e o setor sucroenergético” garante um aspecto histórico do avanço da fronteira agrícola na região do Vale de São Patrício, destacando, ainda, como se deu todo o aspecto do empreendedorismo pelo lado público e privado no desenvolvimento socioeconômico dessa região. “Outro ponto desta tese, foi a criação de uma categoria teórica denominada racionalidade sustentável cujo objetivo é demonstrar que hoje nós estamos para além do simples conceito de desenvolvimento sustentável. Trata-se, sem dúvida alguma, doo aprimoramento daquilo que se disse em um primeiro momento sobre a racionalidade”, conclui