Sobre o Núcleo

Não tem como falar em educação sem pensar em inclusão. Por isso, a Associação Educativa Evangélica, por meio do Centro Universitário de Anápolis – UniEVANGÉLICA, criou em 21 de setembro  de  2017  o  Núcleo  de  Acessibilidade  e  Inclusão.  O  objetivo  é  levar  educação  de  qualidade a todos, sem exceção. O Núcleo se preocupa em garantir a inclusão de pessoas com deficiência à vida acadêmica e em proporcionar aos colaboradores e pessoas da comu-nidade que utilizam os espaços e serviços da instituição, acesso inclusivo.

O Núcleo é responsável por eliminar barreiras arquitetônicas, pedagógicas, atitudinais e na comunicação e informação, promovendo o cumprimento dos requisitos legais de acessibili-dade e inclusão.

 

MANUAL DESCRITIVO

 

Onde procurar atendimento?

 

Dependências da Biblioteca Central da UniEVANGÉLICA

Telefones: 3310-6023 / 9 9660-4292

Dados

O Censo Demográfico de 2010, do IBGE apontou que 45,6 milhões de pessoas declararam ter ao menos um tipo de deficiência, o que corresponde a 23,9% de toda população brasileira. Desse total, 61,1% não possuía nenhuma instrução ou possuíam nível fundamental incompleto, 17,7% possuíam ensino médio e apenas 6,7% possuíam ensino superior completo.

No Centro Universitário de Anápolis são 106 acadêmicos com algum tipo de deficiência. O que representa 1,24% de total de alunos.

Programa de Atendimento Educacional Especializado – TEA

O Centro Universitário de Anápolis, através da Liga de Estudos em Condutas e Comportamentos Humanos do Curso de Psicologia, atendendo ao preceito legal da inclusão da pessoa com transtorno do espectro autista TEA, elaborou o Programa de Atendimento Educacional Especializado para Transtorno do Espectro Autista – PAEE-TEA. O programa visa além da garantia da aplicação da lei, buscar formas de acolher o aluno em suas especificidades, criando condições para que ele permaneça até concluir, com sucesso, sua formação.

O Programa foi instituído pela Resolução CAS nº 09 de 09/06/2017.

Direitos da pessoa com Transtorno do Espectro Autista - TEA

A Lei. 12.764/2012, que cria a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, atende aos princípios da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (MEC/2008) e aos propósitos da Convenção dos Direitos das Pessoas Deficientes (ONU/2006) aprovada pelo Decreto Legislativo 186/2008 e o Decreto Presidencial 6.949/09, que lhe confere o caráter de Emenda Constitucional.

A lei 12.674/2012 estabelece como direitos da pessoa com TEA:

· A vida digna, a integridade física e moral, o livre desenvolvimento da personalidade, a segurança e o lazer;

· A proteção contra qualquer forma de abuso e exploração;

· O acesso: a) à educação e ao ensino profissionalizante; c) ao mercado de trabalho; d) à previdência social e à assistência social.

Conteúdo extra:

Legislação

Órgãos de defesa

  • ADA – Associação dos Deficientes de Anápolis – 3902 1347

  • ADVA – Associação dos Deficientes Visuais de Anápolis - Contato: 3311 2128

 

ACESSI
BILI
DADE

ACESSIBILIDADE ATITUDINAL

Refere-se à percepção do outro sem preconceitos, estigmas, estereótipos e descriminações.Todos os demais tipos de acessibilidade estão relacionados a essa, pois é a atitude da pessoa que impulssiona a remoção de barreiras.

ACESSIBILIDADE NAS COMUNICAÇÕES

É a acessibilidade que elimina barreiras na comunicação interpessoal(face a face, língua de sinais), escrita(jornal, revista, livro, carta, apostila etc., incluindo textos em braile, uso do computador portátil)e virtual(acessibilidade digital).

ACESSIBILIDADE ARQUITETÔNICA

Eliminação das barreiras ambientais físicas nas residências, nos edifícios, nos espaços equipamentos urbanos.

ACESSIBILIDADE DIGITAL

Direito de eliminação de barreiras na disponibilidade de comunicação, de acesso físico, de quipamentos e programas adequados, de conteúdo e apresentação da informação em formatos alternativos .

Atendimento via chat
Atendimento via chat